Conheça 12 motivos para extrair um dente


Hoje falaremos sobre uma dúvida muito comum entre a população, por que é preciso remover um dente?

Listaremos aqui doze motivos mais comuns para este tipo de procedimento, esperamos que esta informação tire suas dúvidas, caso não em sua totalidade, não deixe de comentar e deixar a sua pergunta, teremos enorme prazer em responder.

Cáries

Esta talvez seja uma das razões mais comuns e amplamente aceitas.

Um dente estar tão severamente cariado que não pode ser restaurado.

A extensão da cárie pode ter tomado proporções que tornem ele “não restaurável”. Essa decisão, entretanto, deve ser em comum acordo entre paciente e cirurgião-dentista e pode estar associado a procedimentos posteriores como por exemplo, implante dentário.

Necrose Pulpar

Este é um segundo motivo para remoção de um dente, a presença de necrose pulpar ou pulpite irreversível que não tem indicação para endodontia (tratamento de canal).

Este tipo de caso pode ser resultado do paciente recusar tratamento endodôntico ou complicações como canal tortuoso ou calcificado e não tratável.

Doença Periodontal

Um outro motivo para a remoção de um dente seria uma doença periodontal severa e de grande extensão, onde será encontrada grande perda óssea e mobilidade dental irreversível.

Neste tipo de caso, o dente com mobilidade deve ser extraído.

Vale sempre lembrar que, em casos de doenças periodontais com grande perda óssea pode impossibilitar a colocação imediata de implantes.

Razoes Ortodônticas

Este motivo pode ser muito familiar a maioria das pessoas que já passaram ou passarão por um tratamento ortodôntico.

Em casos de dentição apinhada com comprimento de arco insuficiente, a extração de alguns elementos (dentes) será inevitável para gerar espaço suficiente para o correto posicionamento dos demais dentes.

Nestes casos, os dentes mais comuns de serem extraídos são os pré-molares maxilares (superiores) ou mandibulares (inferiores).

Um ponto muito importante neste caso é ter realmente certeza da necessidade de remoção destes elementos, existem casos em que, com um bom planejamento, não existe a necessidade de extração de dentes.

Caso você ainda não tenha ouvido falar de aparelhos autoligados, muito eficientes nestes casos, leia o nosso artigo sobre o assunto aqui.

Dentes Mal posicionados

Existem casos em que dentes mal posicionados e que estão “traumatizando” tecidos moles não podem ser reposicionados corretamente através da correção ortodôntica, nestes casos, a remoção também é indicada.

Um exemplo muito comum deste tipo de caso são os terceiros molares (sisos), principalmente os maxilares (superiores) que irrompem em posições vestibulares severas e causam ulceração e trauma no tecido da bochecha.

Dentes Fraturados

Dentes fraturados podem gerar grande dor e não são controláveis, diferente de um caso em que um procedimento emergencial pode “remover” a dor.

Dentes com coroa e ou raiz fraturada tem indicação para extração quando técnicas mais conservadoras não podem ser aplicada.

Muitas vezes um dente que já teve o canal tratado mas sofreu um trauma que fraturou a raiz ou boa parte da coroa.

Dentes Impactados

Dentes impactados são outro exemplo clássico de indicação para remoção, a grande maioria disparada de casos deste tipo são dos terceiros molares (sisos).

Dentes parcialmente impactados e que está claro que não irromperão em oclusão funcional devido ao espaço inadequado e que interferem em dentes adjacentes devem ser considerados para extração.

É importante nestes casos consultar um bom cirurgião-dentista com experiência em cirurgias deste tipo para que a extração seja o mais atraumática possível.

Dentes Supranumerários

Dentes supranumerários podem interferir com o irrompimento dos dentes que o sucedem e tem grande potencial de causar reabsorção, fazendo com que saiam do lugar.

Este tipo de dente normalmente é impactado, mais um motivo para sua remoção.

Dentes Associados a Lesões Patológicas

Existem casos em que a remoção do dente se faz necessária por estarem envolvidos em lesões patológicas.

Um exemplo muito comum é visto em casos de cistos odontogênicos.

Existem casos obviamente em que o dente pode ser mantido e um tratamento endodôntico executado.

Entretanto, se a manutenção deste elemento comprometer a completa remoção cirúrgica da lesão (sendo a remoção completa desta necessária), ele deve ser removido.

Radioterapia

Em situações onde o paciente está recebendo radioterapia para câncer oral, na cabeça ou no pescoço, devem ser consideradas as extrações dos dentes que estão na direção da terapia com radiação.

Obviamente que isso deve ser discutido com o médico e cirurgião-dentista já que existem casos em que os dentes podem ser mantidos com os devidos cuidados.

Dentes Envolvidos em Fraturas Maxilares

Pacientes que sofreram traumas com fratura na mandíbula, na maxila ou ainda do processo alveolar podem precisar remover alguns dentes prejudicados, severamente luxados do tecido ósseo circundante ou que interferem na devida redução e fixação da fratura.

Assim como citado em outros casos anteriores, muitas vezes o dente envolvido na linha da fratura pode ser mantido desde que não prejudique o tratamento como um todo.  

Questões Financeiras

Obviamente que não poderíamos deixar de citar as questões financeiras como um dos motivos para remoção de dente.

Muitos pacientes optam pela remoção de um dente pois não tem condições e/ou não querem ser submetidos aos procedimentos necessários para que o dente seja mantido.

Entretanto, não nos referimos somente aos casos em que o paciente não tem condições de arcar com o procedimento necessário mas também aos casos em que a sua remoção e posterior reabilitação com implantes termina tendo um melhor custo benefício.

Quer saber mais? Entra em contato conosco, deixe a sua pergunta nos comentários.

A informação foi útil? Compartilhe com seus amigos.

Não esqueça de curtir a nossa página no facebook.com/benitezodontologia e seguir a gente nas redes sociais @benitezodontologia.

Deixe um comentário